Habilidades híbridas são chave para sucesso no mercado de trabalho atual

Cursos rápidos e de média duração são perfeitos para formação de profissionais com múltiplas habilidades
Segundo um levantamento da Burning Glass Technologies, 25% das ocupações nos Estados Unidos estão caminhando para a hibridização nos próximos quatro anos. De acordo com a agência, a hibridização já é verificada em um a cada oito postos de trabalho norte-americanos em mais de 250 ocupações. O apontamento está no recém lançado relatório Tendências Sistema Fiep 2019-2020, realizado pelos Observatórios. De acordo com o estudo, “novas ocupações, atualizações de funções já existentes e combinações improváveis de aptidões desafiam trabalhadores, estudantes, empregadores e educadores”. Habilidades técnicas somam-se às soft skills, capacidade de análise e gerenciamento no novo perfil demandado pelas empresas.
Para se adequar à realidade que só vem crescendo desde 2015, os cursos rápidos e de média duração mostram-se um ótimo caminho. “Com a digitalização dos processos e serviços, os profissionais precisam apresentar soluções rapidamente, além de dominarem diferentes áreas de conhecimento”, afirma Berenice Happel Cavalheiro, gerente da unidade Dr. Celso Charuri, do Sistema Fiep.


Reinvenção profissional
A indústria 4.0 e transformação digital não são sinônimos de desemprego. Se por um lado, postos de trabalho mais mecânicos tendem a acabar, será necessário ter mais profissionais capazes de interpretar os dados gerados pelos sistemas. “Essa nova competência, como muitas outras, pode ser adquirida por meio de uma educação modular, com cursos de curta e média duração, facilitando tanto a manutenção quanto a recolocação de profissionais no mercado de trabalho”, diz Berenice.
Na Celso Charuri, nova unidade do Sistema Fiep em Curitiba, são ofertados cursos em diferentes trilhas, todas ligadas à tecnologia. “A Trilha da Programação promove o desenvolvimento da linguagem de programação e robótica; a Trilha Inventores Conectados une aulas de robótica, programação e cultura para que alunos coloquem a mão na massa; já a Trilha Aprendendo com a Indústria ensina a desenvolver protótipos baseados nos conceitos da indústria 4.0 e nas demandas do setor”, lista a gerente da unidade. “Há ainda a Trilha Experienciando, que oferta cursos rápidos e gratuitos para quem quer conhecer melhor as áreas para então escolher o curso a seguir”, completa.
Para saber mais acesse sistemafiep.com.br/industria40/drcelsocharuri.