Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




19/05/2016

Conheça um modelo de ensino onde o aluno é o grande protagonista

Aula mais dinâmica e mudanças no formato das salas de aula fazem parte das novas formas de ensino

protagonista

Imagine um novo formato de ensino, no qual o aluno é protagonista do aprendizado e vai para a sala de aula para tirar dúvidas e entender conceitos com a ajuda de um professor. Essa é a proposta da sala de aula invertida que muitos educadores vem estudando ao longo dos anos e aplicando nas instituições de ensino.

Esqueça os modelos tradicionais, na qual os estudantes só ouvem os conteúdos do professor. Na sala de aula invertida, o modelo de aula expositiva é substituída por uma forma mais dinâmica de estudo, como explicam os autores e especialistas no assunto, Jonathan Bergmann e Aaron Sams, no livro “Sala de Aula Invertida – uma metodologia ativa de aprendizagem”.

Funciona assim. Tudo que deveria ser visto em sala de aula, passa a ser estudado pelo aluno em casa e tudo que ele levava para casa, como trabalhos, atividades, ele passa a fazer em sala de aula. Os professores viram grandes tutores, grandes orientadores. 

Na Faculdade da Indústria IEL, esse modelo de sala de aula invertida começou a ser aplicado neste ano para todas as turmas dos cursos superiores, em conjunto com outras metodologias ativas de aprendizagem, como é o caso do PBL, ou Aprendizado Baseado em Problemas (Problem-Based Learning, na sigla em inglês). Veja como funciona:

Os alunos estudam casos reais de empresas e indústrias
casos reais

Como o método parte do princípio de casos reais, professores da instituição ficam de olho nos fatos ocorridos na indústria e na comunidade e os transformam em objetos de experiência e estudo. Diante deles, os alunos apresentam propostas de solução para os problemas. A pesquisa de campo é uma das ferramentas utilizadas pelos estudantes para a procura por soluções para as questões vivenciadas.

O professor é um agente que ajuda a propor soluções
solucoes

No modelo adotado pela Faculdade da Indústria IEL, o professor passa a ser peça-chave na condução do aluno à análise crítica, é um agente que propõe soluções. Isso fomenta no aluno o espírito proativo, analítico, o ajuda a vivenciar um processo de solução do problema, e o incentiva a não se conformar com ideias prontas, fazendo-o com que exponha as suas. Exemplo: diante de um problema na linha de produção da empresa onde trabalha, como agir? Como analisar o problema e organizá-lo de forma a permitir a proposta de soluções?

O aluno se envolve em atividades práticas supervisionadas
atividades praticas

Saem de cena o quadro negro e o modelo tradicional de aula expositiva. Na maior parte do tempo ele está envolvido em uma atividade prática supervisionada, diante de um problema real. A retenção do conteúdo, neste caso, se dá mais pelo fazer do que pelo escutar.  Um exemplo de transformação a partir destes novos métodos está no modo de encarar o Trabalho de Conclusão de Curso.

A partir da ideia de tornar o aluno protagonista do processo de aprendizagem, o TCC deixa de ser encarado apenas como um requisito institucional e do MEC para se transformar em um instrumento em que o aluno possa empregar na empresa onde trabalha, de modo a auxiliá-lo na resolução de um problema vivido no ambiente de trabalho.

A sala de aula ganha um novo formato

sala de aula

Pelo menos uma vez na semana, os alunos da Faculdade da Indústria IEL estudam em uma sala com mesas redondas, totalmente diferentes das salas tradicionais. O objetivo é integrar os estudantes e facilitar o aprendizado nas atividades práticas.