Geração i no combate à COVID-19

Aluno conta como é estar na linha de frente e fala da importância da ciência, tecnologia e inovação para superamos esse desafio

“Eu estava buscando uma forma de colaborar com a sociedade no combate à doença. Foi quando surgiu a oportunidade no Instituto Senai de Inovação (ISI) em Eletroquímica. Eles abriram vagas para bolsistas no programa Missão contra Covid-19 do Edital de Inovação para a Indústria, eu me candidatei e fui selecionado. Estou muito grato de fazer parte disso.

Eu precisava levar para algum lugar esse conhecimento que tenho adquirido e que pudesse aplicar isso em benefício da sociedade.

O que também me motivou foram todos os mentores que tive na instituição, desde o curso técnico no Senai até agora na graduação (estou fazendo Engenharia de Energias nas Faculdades da Indústria). Muitos professores dedicaram tempo e me motivaram para que eu pudesse me tornar um profissional de excelência no mercado, que soubesse resolver problemas e tomar atitudes que pudessem trazer resultados positivos na sociedade. Eu vi que tinha potencial para ajudar nessa ação e, de alguma forma, trazer orgulho para quem tanto acredita no meu trabalho.

O ISI está integrado às Faculdades da Indústria, e o projeto que eles estão fazendo lá é uma parceria com a Hi Technologies. Hoje estou auxiliando as equipes do Senai e da empresa na produção de testes rápidos para detecção de Covid-19. O projeto está sendo feito no laboratório do Instituto, no Campus da Indústria em Curitiba.

Experiência para a vida

Profissionalmente tem sido uma experiência muito bacana. Infelizmente estamos vivendo um momento muito ruim, mas como profissionais, de química, biologia, farmacologia e de várias outras áreas, conseguimos nos unir para a produção desses testes que vão ajudar na rastreabilidade da doença. Isso é muito importante para a tomada de decisões, saber como vai ser o nosso caminho mais pra frente, e qual o rumo da doença.

Essa experiência também soma muito ao currículo profissional. Vejo como um momento em que podemos amadurecer profissionalmente. Temos uma metodologia para seguir, é um momento tenso, nos deparamos com diversas dificuldades, como para encontrar reagentes, para comprar materiais. A gente tem que ter uma postura profissional muito diferente se comparado a um ambiente normal, antes da pandemia. Temos que entender que os recursos são escassos, não podemos perder material, precisamos estar muito bem coordenados e sincronizados dentro da produção no laboratório. É todo um processo organizacional que vai acrescentar muito profissionalmente e trazer mais experiência.

Depois que passarmos por essa situação poderemos levar esse aprendizado para outros trabalhos. Vamos sair como profissionais mais maduros e capacitados para o mercado.

Pessoalmente tem sido uma experiência gratificante. Passamos tanto tempo estudando, então é muito bom fazer alguma coisa prática para trazer o retorno para a sociedade. Pegamos todo conhecimento adquirido, dentro e fora da sala de aula, e aplicamos nesse momento que vai ajudar toda a sociedade.

Nós somos uma pequena engrenagem, que faz parte de um todo. E cada um fazendo um pouquinho, conseguiremos combater a Covid-19. Estamos juntos na linha de frente para encontrar soluções para esse problema e tentar fazer com que nossa sociedade sofra menos.

Sou muito fã do Stephen Hawking, e existe uma reflexão dele que diz que somos todos viajantes do tempo em direção ao futuro. E devemos fazer com que o futuro seja um lugar que todos queiram visitar. Para isso, necessitamos de uma geração que esteja comprometida, engajada com a ciência. Para resolvermos os problemas, como essa pandemia. É uma oportunidade que a gente tem de ser melhor, de fazer melhor pela nossa sociedade, pelo nosso futuro. Acredito que o que a gente precisa nesse momento é uma ação coordenada entre inovação, ciência e tecnologia.

Espero que logo possamos sair de casa, rever a família e dar risada com os amigos. Estamos dando o nosso máximo para ajudar o nosso Brasilzão.”

Renan Riba do Rosário – aluno de Engenharia de Energias das Faculdades da Indústria